Consent Preferences

E-commerce: Mercado de Portugal vale 7130 milhões de euros em 2023

O mercado E-commerce de Portugal vale aproximadamente 7130 milhões de euros em 2023 e até 2025 esse valor deve crescer para 9300 milhões de euros, no entanto existe ainda muito por onde evoluir no e-commerce em Portugal.

Anteriormente, dados do Eurostat afirmavam que Portugal estava em 3º lugar na Europa no que toca ao esforço das empresas para vender online durante a pandemia e que, consequentemente, impulsionou o crescimento do e-commerce no nosso país.

De acordo com estudos recentes, as receitas do comércio eletrónico têm aumentado consistentemente desde 2017, tendência que foi exponencialmente ampliada devido ao cenário pandémico de COVID-19 que se fez sentir em todo o mundo e que mudou os hábitos de consumo da população.

O E-commerce em Portugal pode valorizar até 7130 milhões de euros durante 2023 e atingir os 9300 milhões de euros em 2025, no entanto o e-commerce em Portugal ainda se depara com várias oportunidades de crescimento.

Enquanto que 62% das empresas em Portugal tem presença na internet, através de site próprio ou presença nas redes sociais (Linkedin, Facebook, instagram, outros), apenas 16% das empresas aproveita a sua presença online como um canal de vendas para gerar mais negócio.

Quanto às empresas que utilizam os meios online para gerar mais vendas, estimam que cerca de 23% do total de vendas sejam realizadas através de e-commerce. Os setores de atividade com maior volume em compras online no ano de 2022 foram:

  • Vestuário e moda;
  • Beleza, higiene pessoal e doméstica;
  • Eletrónica.

Quanto aos consumidores inquiridos, 64% destes indicam que pretendem voltar a fazer compras online no futuro e 71% prefere comprar online em vez de se deslocar a um estabelecimento físico. Já 53,4% dos consumidores que respondeu ao estudo indica ter feito compras online em 2022, um aumento de 6% face a 2020.

A privacidade da informação é um fator cada vez mais determinante para a escolha dos consumidores em e-commerce. 83% dos inquiridos considerou a experiência de compra tão importante quanto a qualidade dos produtos e 69% crê que uma boa experiência aumenta as expetativas face a outras marcas.

Quanto ao desempenho técnico dos sites de e-commerce portugueses avaliado, o mesmo foi reprovado devido ao tempo de carregamento das páginas ser superior ao esperado. A velocidade dos sites de e-commerce em Portugal é abaixo do pretendido e afeta negativamente a navegação dos consumidores.

Outro ponto relevante para os utilizadores de e-commerce é a possibilidade de fazer compras sem a necessidade de registo na loja online. No entanto, só 65% das empresas abrangidas pelo estudo permitiam que os consumidores completassem a compra sem necessidade de registo ou login.

Por último, no que diz respeito ao processo de entrega das encomendas, a informação em tempo-real sobre o estado das encomendas e a simplicidade de processos (devolução e outros) são determinantes para que os consumidores possam ter uma boa experiência de compra online.

siga a reward consulting em google newssiga a reward consulting em google news

Alguma questão? Fale connosco

A nossa equipa de contabilistas e RH pode esclarecer as suas dúvidas e/ou questões, contacte os nossos serviços no formulário abaixo.

Notícias Relacionadas