Siga-nos:

Início I&D | Projetos Individuais

Contacto Rápido

Necessita de Ajuda?

Sinta-se à vontade para contactar-nos. Respondemos à sua mensagem no máximo de 24h.

  • rwd@reward.pt
  • +351 214 410 718
  •    +351 926 465 245

I&D | Projetos Individuais

O SI I&D Empresas tem como objetivos aumentar a intensidade de I&I nas empresas e a sua valorização económica; aumentar os projetos e atividades em cooperação das empresas com as restantes entidades do sistema de I&I; desenvolver novos produtos e serviços, em especial em atividades de maior intensidade tecnológica e de conhecimento; reforçar as ações de valorização económica dos projetos de I&D com sucesso; e aumentar a participação nacional nos programas e iniciativas internacionais de I&I.

SIFIDE II REWARD Consulting

Este incentivo pretende apoiar projetos compreendendo atividades de investigação industrial e desenvolvimento experimental, conducentes à criação de novos produtos, processos ou sistemas ou à introdução de melhorias significativas em produtos, processos ou sistemas exigentes.

 

São beneficiários desta medida as empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica.

A NOSSA METODOLOGIA

  • Reunião preliminar | Enquadramento
  • Reuniões intercalares | Levantamento da informação técnica, administrativa, contabilística, fiscal, financeira da empresa e dos investimentos
  • Preparação da candidatura | Descrição técnica do projeto
  • Preparação da candidatura | Estudo de Viabilidade Económico-Financeira
  • Preenchimento e submissão do formulário de candidatura
  • Acompanhamento pós-entrega da candidatura
  • Elaboração, gestão e acompanhamento de pedidos de pagamento
  • Gestão e acompanhamento do encerramento do investimento
  • Acompanhamento de auditorias intercalares e final

Garantia REWARD Consulting

OS NOSSOS HONORÁRIOS SÃO 100% BASEADOS NO SUCESSO.

Critérios de elegibilidade dos projetos

  • Data de candidatura anterior à data de início dos trabalhos;
  • Inserir-se nos domínios prioritários da estratégia de investigação e inovação para uma especialização inteligente;
  • Demonstrar que se encontram asseguradas as fontes de financiamento;
  • Demonstrar a viabilidade e sustentabilidade económica e financeira da empresa;
  • Apresentar uma caraterização técnica e um orçamento detalhado, com uma estrutura de custos adequada aos objetivos visados;
  • Enquadrar-se nos domínios prioritários da RIS 3;
  • Ter uma duração máxima de execução de 24 meses;
  • Iniciar a execução no prazo máximo de 6 meses após a comunicação da decisão;
  • Identificar as incertezas de natureza técnica e científica que sustentam o caráter de I&D do projeto;
  • Incorporar desenvolvimentos técnicos ou tecnológicos significativos;
  • Envolver RHs qualificados;
  • Ser sustentado por uma análise da estratégia de investigação e inovação que identifique, no presente e nos três anos seguintes, as áreas de investigação prioritárias;
  • Corresponder a um investimento mínimo de 100.000,00€;
  • Quando inserido numa nova atividade económica, demonstrar na conclusão do mesmo, a existência de volume de negócios associado a essa atividade.

Critérios de elegibilidade dos beneficiários

  • Terem situação tributária e contributiva regularizada;
  • Possuírem, ou poderem assegurar até à aprovação, os meios técnicos, físicos e financeiros e os RH necessários ao projeto;
  • Certificado PME atualizado;
  • Dispor de contabilidade organizada;
  • Não ser uma empresa em dificuldade;
  • Declarar que não se trata de uma empresa sujeita a injunção de recuperação, ainda pendente;
  • Declarar que não tem salários em atraso;
  • Apresentar uma situação económico-financeira equilibrada (AF PME ≥ 0,15 e AF Não PME ≥ 0,20);
  • Designar um responsável técnico do projeto.

Despesas elegíveis

  • Custos diretos:
    • Despesas com pessoal técnico dedicado a atividades de I&D (incluindo bolseiros);
    • Aquisição de patentes a fontes externas ou por estas licenciadas, a preços de mercado, e que se traduzam na sua efetiva endogeneização por parte do beneficiário;
    • Matérias-primas, materiais consumíveis e componentes necessários à construção de instalações piloto ou experimentais e ou de demonstração e para construção de protótipos;
    • Aquisição de serviços a terceiros, incluindo assistência técnica, científica e consultoria;
    • Aquisição de instrumentos e equipamento científico e técnico;
    • Aquisição de software específico;
    • Despesas com promoção e divulgação de resultados junto do setor utilizador final ou empresas alvo, incluindo inscrição e aluguer de espaços no estrangeiro;
    • Viagens e estadas no estrangeiro diretamente imputáveis ao projeto, e até um limite de 700€ na UE e 1.600€ para fora da EU por viagem, 250€/noite para o alojamento;
    • Despesas com o processo de certificação do SGIDI segundo a NP 4457:2007;
    • Despesas com a intervenção de auditor técnico-científico;
    • TOC/ROC para validação de despesas do projeto até 5.000€.
  • Custos indiretos.

Incentivo

Taxas de financiamento:

  • NUTS II Norte, Centro e Alentejo – taxa base de 25%, aplicada às despesas elegíveis, à qual podem ser acrescidas majorações até um máximo de 75%;
  • NUTS II Lisboa – taxa máxima de incentivo é 50%;
  • NUTS II Algarve – taxa máxima de incentivo é 62%;
  • Projetos com incentivo ≤ 1M€ – incentivo não reembolsável;
  • Projetos com incentivo > 1M€ – incentivo não reembolsável até ao montante de 1M€, assumindo o excedente a modalidade de 75% não reembolsável e 25% de incentivo reembolsável, se esta última parcela for igual ou superior a 50.000€.