Consent Preferences

Gestão em 5 Minutos (G5M) – Como captar investimento externo

Definição e vantagens

O investimento externo é a aplicação de capital (nacional ou estrangeiro) na empresa através de investidores externos. Esse tipo de financiamento abre oportunidades a empresas que pretendam impulsionar o seu crescimento e expandir a sua rede de negócios.

Algumas vantagens para as empresas incluem o acesso a capital para financiar projetos de expansão, novas tecnologias, aquisições ou desenvolver produtos inovadores. Os investidores estrangeiros podem acrescentar valor através do seu conhecimento e experiência em outros setores de mercado, o que pode ser útil para melhorar a gestão ou estratégia de negócios.

O investimento externo permite também o acesso a novos mercados (nacionais ou internacionais) e expandir a base de clientes; o aumento da credibilidade da organização e a divisão dos riscos de investimentos com os os investidores externos.

Estas vantagens traduzem-se numa potencial expansão dos negócios da empresa, inovação e desenvolvimento de novos serviços ou produtos, entrada em novos mercados e fortalecimento de imagem e credibilidade.

Como captar investimento externo?

Antes de iniciar o projeto de captação de investimento externo, é imperativo que cada aspeto do negócio seja corretamente avaliado. O modelo de negócio deve estar bem definido e orientado para um crescimento sustentável.

A gestão do negócio deve primeiro entender o motivo que a conduz à procura de investimento externo (aumentar vendas, ampliar instalações, aumentar equipa, outros), pois pode ser questionada sobre os aspetos do plano de expansão do negócio por parte dos investidores.

Modelo de negócios

O modelo de negócios da empresa deve ser estável e sólido, orientado para um crescimento sustentável.

O modelo de negócios deve ter a capacidade de se escalar acima do patamar atual e ser complementado por uma faturação considerável para apresentar garantias a possíveis investidores. Deve recolher dados dos clientes sobre os seus produtos ou serviços que comprovem a sua qualidade.

Deve também manter o controlo financeiro e toda a documentação da empresa em dia pois todos os elementos serão analisados antes do investimento ser realizado.

Estratégia de expansão

É preferível ter uma estratégia de expansão prévia para o negócio pois os investidores podem exigir que a faturação da empresa seja duplicada ou triplicada a curto ou médio prazo.

Ao traçar a estratégia de crescimento deve ser identificado e definido o potencial de expansão global do negócio. Negócios com potencial de expansão global podem ser mais apetecíveis face a outros que estejam geograficamente limitados, pois apresentam maior probabilidade de retorno financeiro.

Repartir o poder com os investidores

Uma das consequências da captação de investimento externo para a empresa é a partilha de poder dentro da organização com os investidores. Este ponto pode ser negativo para certos empresários ou empreendedores que não pretendem abdicar da influência que exercem sobre o negócio.

A gestão do negócio deve ponderar seriamente os pros e contras da sua decisão antes de permitir a abertura da empresa a investidores, de forma a ponderar todas as consequências e mudanças que o poder decisório repartido pode trazer à gestão da mesma.

Utilizar redes de contatos e networking para atrair investimento

A capacidade de uma empresa atrair investimento externo pode ser potenciada com o uso de redes de networking e/ou a um ecossistema de investimento. Uma rede de contatos robusta e desenvolvida ao longo do tempo facilita a introdução e acesso a novos mercados de investidores.

Caso a empresa já possua investidores, estes podem atuar como catalisadores e proporcionar capital e acesso a um ecossistema maior de possíveis fontes de financiamento (nacionais ou internacionais). Esta dinâmica é mais relevante em setores onde a prova de conceito e validação de mercado já foram atingidas com investimentos prévios.

Pode também desenvolver táticas de networking como por exemplo:

  • Desenvolver relacionamentos estratégicos com potenciais financiadores através dos seus contatos atuais,;
  • Participar ativamente em eventos do setor (conferências, seminários e encontros de negócios);
  • Fortalecer a presença digital da empresa (no website e nas redes sociais como Linkedin), de forma a que esta reflita a visão, os valores e potencial da empresa.

Storytelling

Embora os dados apresentados pesem bastante quando se procura investimento externo para a empresa, a empatia não deve ser descurada. O storytelling, ou a capacidade de contar uma história e estabelecer empatia durante a apresentação, deve ser trabalhado neste processo de captação de investimento.

A apresentação do plano de negócios deve envolver uma história que envolva o público e prenda a sua atenção. A gestão deve humanizar a sua mensagem e estruturar uma narrativa ao redor dos pontos fortes da empresa, transformar números em feitos, planos em conquistas e desafios em oportunidades.

O storytelling deve ser uma narrativa capaz de atingir os seguintes objetivos:

  • Humanizar a marca: Demonstrar como a empresa, produto ou serviço impacta positivamente a vida das pessoas, resolve problemas reais e melhora o dia-a-dia dos seus clientes;
  • Mostrar transformação e progresso: Transformar os números e planos num processo de crescimento e superação. Descrever como a inovação da empresa transformou um segmento de mercado ou como superou desafios importantes pode ser relevante;
  • Destacar os valores da organização: Comunicar os valores e cultura da organização com foco no seu “porquê” (ou “why”) ajuda a criar uma ligação emocional e faz com que os investidores se identifiquem com a empresa e a sua missão.
siga a reward consulting em google newssiga a reward consulting em google news

Notícias Relacionadas