Consent Preferences

Contabilidade, Consultoria de Gestão, Candidaturas SIFIDE, PRR, PT2030, IFR - Paço de Arcos, Oeiras, Lisboa

Objetivo Estratégico 1 COMPETE 2030: Portugal mais competitivo

Portugal mais competitivo

O Objetivo estratégico 1 do COMPETE 2030 visa tornar Portugal mais competitivo com recurso ao apoio ao investimento em três áreas distintas que são

  • Investigação e inovação,
  • Digitalização
  • Investimento produtivo (qualificação e internacionalização).

O COMPETE 2030 destina-se às regiões menos desenvolvidas do território continental de Portugal, nomeadamente as regiões NUT II Norte, Centro e Alentejo. O Valor global destinado a este objetivo situa-se em 2567 milhões de euros.

O COMPETE 2030 enquadra-se no Portugal 2030, materialização do acordo de parceria estabelecido entre Portugal e a CE para aplicação de fundos de política de coesão (FEDER e FSE+) no período compreendido entre 2021 e 2027.

Para concretizar o Objetivo estratégico 1, um Portugal mais competitivo, o Programa Inovação e Transição Digital (COMPETE 2030) assenta em 3 prioridades, em torno das quais se mobilizam objetivos específicos estabelecidos no quadro regulamentar dos fundos europeus. Estes são executados com recurso a Sistemas de Apoio e Sistemas de Incentivos às empresas.

1.1 Investigação e inovação

A Investigação e inovação enquadra-se no objetivo específico “Desenvolver e reforçar as capacidades de investigação e inovação e a adoção de tecnologias avançadas”. Subdivide-se em “Investigação Científica e Tecnológica” e “Investigação e Desenvolvimento (I&D)”

Investigação Científica e Tecnológica

A Investigação e inovação visa desenvolver e reforçar as capacidades em questão e apoiar a produção científica e tecnológica reconhecida no panorama internacional e desenvolver uma economia de alto valor acrescentado.

Esta área também promove a excelência, cooperação e internacionalização ao capacitar as entidades do Sistema Científico e Tecnológico Nacional (SCTN) para desenvolver processos de investigação com fim a produzir e alargar o conhecimento científico e tecnológico que suporte processos inovadores destinados ao mercado.

As subvenções ao abrigo da Investigação Científica e Tecnológica não são reembolsáveis e os beneficiários visados são as Entidades do Sistema Científico e Tecnológico de Portugal

Investigação e Desenvolvimento (I&D)

A Investigação e Desenvolvimento, ou I&D, pretende promover o investimento realizado na área quanto a investigação industrial e desenvolvimento experimental, de forma a estimular a valorização económica e promoção da inovação em domínios prioritários, reforçar a articulação entre as empresas e as instituições de cariz científico e tecnológico e aumentar a internacionalização no âmbito de Investigação e Inovação.

A Investigação e Desenvolvimento pretende ainda apoiar operações de Investimento integrado em I&D e inovação empresarial que desenvolvam atividades desde investigação até produção ou introdução no mercado de produtos ou processos, de forma a potencializar a inovação produtiva, decorrentes de cooperação entre empresas (PME ou Grandes Empresas) e/ou entidades do sistema de I&I (ENESII).

Os apoios financeiros prestados têm a forma de subvenções não reembolsáveis e os beneficiários visados pela Investigação e Desenvolvimento são:

  • PME e Small Mid-Caps;
  • ENESII (inclui localizações nas R.A. Açores e Madeira) e outras instituições públicas e privadas sem fins lucrativos, que desenvolvam o participem em atividades de investigação científica);
  • Grandes Empresas (em operações de investimento integrado em investigação, desenvolvimento e inovação empresarial, em co promoção com PME).

1.2 Digitalização

A Digitalização enquadra-se no objetivo específico 1.2 – Aproveitar as vantagens da digitalização para as empresas.

Esta área do Objetivo COMPETE 2030 “Portugal mais competitivo” é composta por ações coletivas, mobilizadoras ou de clusterização cujos objetivos são apoiar a atividade empresarial ao criar condições favoráveis que permitam desenvolver estratégicas coletivas para estimular o investimento empresarial (difusão de conhecimento e transferência de tecnologia, identificação de oportunidades de digitalização e inovação e capacitação das empresas para desenvolver estratégias de negócio e de internacionalização mais sofisticadas).

Os apoios financeiros no âmbito da digitalização têm a forma de subvenções não reembolsáveis e os beneficiários abrangidos são Associações Empresariais (e não empresariais) do Sistema de I&D; Agências e Entidades Públicas e Entidades Privadas sem fins lucrativos.

1.3 Investimento Produtivo

O Investimento produtivo do 1º objetivo COMPETE 2030 enquadra-se no objetivo específico “1.3 – Reforçar o crescimento sustentável e a competitividade das PME, bem como a criação de emprego nas PME, inclusive através de investimentos produtivos (FEDER)”.

A área de Competitividade empresarial pretende promover a melhoria das capacidades produtivas das empresas portuguesas ao aumentar o investimento no desenvolvimento de soluções inovadoras, digitais e sustentáveis que tenham por base os resultados de I&D e o aumento do emprego qualificado (inovação produtiva).

A Competitividade Empresarial promove também as exportações das PME ao dinamizar a qualificação e internacionalização nos modelos de negócio, com adoção de estratégias de negócio que contemplem fatores imateriais de competitividade e aumentem a capacidade de integração em cadeias de valor globais.

O apoio financeiro do Investimento Produtivo COMPETE 2030 tem a forma de subvenções não reembolsáveis e de instrumentos financeiros (apoios à inovação produtiva). Os beneficiários visados são PME.

siga a reward consulting em google newssiga a reward consulting em google news

Alguma questão? Fale connosco

A nossa equipa de consultores de sistemas de incentivos pode avaliar o potencial da sua empresa e/ou projeto.
Contacte-nos e receba um pré-diagnóstico gratuito.

Notícias Relacionadas